IMG-5610.jpg

O que faz uma joia ser chamada de contemporânea? Essa foi uma das primeiras perguntas que surgiram quando decidi aprender um pouco mais sobre esse universo fascinante. Historicamente, mesmo que não haja consenso, é considerada contemporânea toda arte produzida por volta da segunda metade do século XX, mais precisamente depois da Segunda Guerra Mundial. Apesar desse registro, acredito que o movimento contemporâneo na produção joalheira está mais relacionado ao seu processo criativo do que ligado a uma época específica. Nem tudo o que foi produzido da década de 60 para cá tem essa inspiração, porém, vejo na joalheria um movimento que agrega ao invés de dividir.

 

Fonte da minha inspiração, acredito que a joia carrega um pedaço da nossa personalidade, como algo que nos completa e que leva uma parte do nosso universo onde quer que a gente vá. Essa relação que construímos com ela é o que torna tão especial vestir peças que traduzem o que somos e o que sentimos. Nos últimos anos, apesar da quebra de muitos padrões na moda, ainda pode ser um desafio expressar nossa personalidade, muitas vezes limitada por um dress code de trabalho pelo nosso círculo social. É nesse momento em que a joia nos ajuda a transmitir uma mensagem. Esse, inclusive, tem sido seu papel desde o início quando o ato de se adornar, que data de milhares de anos atrás, já empoderava e distinguia as pessoas por diferentes razões.

 

O que talvez distingue a joia de um acessório comum é também a sensação que ela transmite para quem usa, é o fato de estar constantemente conosco, seja pela relação afetiva com a peça, pelos metais e gemas empregados ou pelo sentimento artístico que ela carrega. E quando falamos de arte, falamos de expressar e compartilhar uma visão, neste caso estética, com inúmeros significados. Pelo olhar do artista vemos o poder de transformar e apresentar os materiais e o resultado são peças que chegam a nos transportar da realidade, nos emocionam de alguma forma.

 

Após anos de intensa globalização é possível perceber um crescente movimento de individualização, de resgate de uma vontade de nos expressar como indivíduos únicos por meio da moda. Seria simplista e talvez errôneo classificar como uma tendência, esse é, na verdade, o resultado de um movimento de pluralidade, de aceitação e valorização das diferenças e quão belo elas podem ser. Não se trata de buscar algum tipo de perfeição, até porque se trata de um conceito relativo, é sobre ver beleza dentro e fora dos padrões tradicionais.

por Leandro buarque

O contemporâneo
da joia 

Ao lado deles, a joalheria contemporânea em toda sua juventude tem crescido ao corresponder a essa expressão, a essa busca pela estética plural e exclusiva ao mesmo tempo. É animador ver esse mercado crescer e o Brasil tem grande potencial, haja vista a liderança dos nossos designers na arquitetura, na movelaria e na moda internacional, dentre outros espaços igualmente artísticos. Após o momento tão sensível como esse em que vivemos, é provável que a joalheria arte saia ainda mais forte, assim como aconteceu na década de 70 quando o alto preço dos metais, sobretudo do ouro, impulsionou o uso de outros materiais na produção de joias.

 

Olhando para tudo isso e, o mais importante, olhando para o futuro, chego à conclusão que contemporâneo significa liberdade, significa ser livre para usar os materiais que mais traduzem o pensamento artístico e estético, ser livre para usar técnicas tradicionais junto com novas modalidades, significa experimentar. O contemporâneo nos atrai cada vez mais porque ele não exclui, ele agrega diferentes formas de expressão. 

 

Atualizando esse conceito, estamos diante de outros desafios e oportunidades: reutilizar e repensar a origem e os impactos da produção joalheira. Talvez estejamos diante de uma nova era que vai nascer da escassez e da necessidade de preservação. O que não muda é o poder da joia, ela seguirá nos fascinando e parte de nós.

Leandro Buarque, 34 anos, estuda joalheria contemporânea no NÚCLEO. Jornalista de formação, o designer resgatou seu interesse pela joalheria durante período sabático iniciado em 2019, após cerca de 10 anos atuando no mercado corporativo. Já em desenvolvimento, sua marca homônima, Leandro Buarque Jewelry, será lançada nos próximos meses. Atualmente, ele também colabora voluntariamente com os projetos da Brazil Jewelry Week.

Se inscreva para receber mais novidades
  • Instagram

IDEALIZAÇÃO: CHRISSIE BARBAN & JOSETTE BARBAN | DIREÇÃO DE ARTE: POHL | REDAÇÃO: LEANDRO BUARQUE