Precioso
CERRADO

POR ADEGUIMAR
ARANTES

Em parceria com o NÚCLEO Escola de Joalheria, forjamos o "Farei Joias", um projeto de cunho social que vai selecionar até 100 pessoas de todo o Brasil que, em função da pandemia ou não, manifestem a vontade de aprender ourivesaria. 100% online, o curso terá cerca de seis meses de duração, com uma aula de 40 minutos por semana, e o custo será determinado pelo aluno, o quanto ele puder investir. O formulário de inscrições no site da escola https://www.nucleojoalheriaescola.com/ O resultado da seleção será divulgado em janeiro para início já em fevereiro de 2021.

 

Há seis anos, vivo numa pequena comunidade, onde me dedico ao voluntariado e à chamada slow jewelry, com produção de 50 peças anuais para um clube fechado de clientes. Minhas joias dão vida à biodiversidade do cerrado brasileiro, que ganha cores e formas únicas.

Sempre nutri o desejo que surgiu com as oportunidades que a joalheria me deu há mais de 35 anos. Desejo de mostrar, na prática, que esta terra generosa em gemas, flora, metais, cultura e talentos poderia construir um conceito mais real sobre esse ofício e que passaria a enxergar a joalheria como fonte de renda para a população de qualquer origem, qualquer gênero, idade e classe social.

 

Percebi que esta visão distorcida era causada por muitos fatores, mas, em especial, pela falta de informação e por se tratar de um mercado extremamente fechado. Restrito em grande parte por conta da violência mundial e ainda por se perpetuar o pensamento de que joia só é joia se feita com metais preciosos e gemas raras. Esse conceito, certamente, leva à liquidez e ao crime. A partir do senso comum de que "ser joalheiro é para gente rica", decidi provar o contrário às pessoas que perdem oportunidades por conta desta desinformação.

 

Há alguns anos venho escrevendo e reescrevendo um livro, já que muita coisa fica obsoleta antes da publicação. Como é tudo tão mutante, veloz e dinâmico, fui envelhecendo e concluí que não dá para os joalheiros fingirem que vivemos uma normalidade, que não há nada acontecendo de terrível no mundo. Diante disso, ao lado desse livro sobre a prática joalheira que devo lançar gratuitamente em breve, desenvolvi um projeto social também focado na educação.

Se inscreva para receber mais novidades
  • Instagram

IDEALIZAÇÃO: CHRISSIE BARBAN & JOSETTE BARBAN | DIREÇÃO DE ARTE: POHL | REDAÇÃO: LEANDRO BUARQUE